Devaneios...

sexta-feira, março 08, 2013

Quando a gente se "apaixona" pela primeira vez, tudo parece perfeito como nos filmes, como nos contos ou como nos nossos sonhos.

Tudo parece que vai dar certo e parece sim que existe o tal de "felizes para sempre". Mas, ai você olha no espelho e percebe que ainda tem apenas quinze anos e que "felizes para sempre" é tanto tempo que até perde a conta.

Temos que terminar o colégio, prestar vestibular, arrumar um emprego, começar a faculdade e conciliar tudo isso com o trabalho que encontramos e com a vida que gostaríamos de viver. De repente olhamos para nosso lado e percebemos que ninguém está a segurar nossas mãos. Percebemos que escolhemos caminhar sozinhos, que escolhemos viver nossos sonhos. E que deixamos para trás o que julgamos não caber no nosso particular aquele momento. E o tempo passou, os amigos mudaram, os lugares que frequentamos são outros, nossas músicas preferidas agora são velhas e aquela paixão, está por aí pelo mundo. Mas onde?

Novamente olho no espelho, percebo que se passaram sete longos anos.  Sim, terminei o colégio, sim, fiz milhares de vestibulares já que estava sempre com dúvida, sim arrumei um emprego e não, não terminei a faculdade, porque nem ao menos tinha começado uma. Simplesmente me bateu de novo a ideia de que tenho tanto tempo para viver que me permiti jogar fora uns anos da minha vida pela janela do meu mundo particular. Encontro-me perdida e confusa. Inscrevo-me para qualquer vestibular de qualquer faculdade para simplesmente qualquer curso. E aprendo a gostar desse novo. Desse novo horizonte e novas ideias. Perco coisas importantes e pessoas mais importantes ainda. Tenho sonhos que mostram o que seria da minha vida se tivesse vivido diferente. Se tivesse falado sim ao invés de não e não. E esses sonhos começam a ser muito mais constantes. Começo a entender que a vida não é longa como deduzimos. E troco tudo a minha volta de novo. Pessoas, lugares e emprego. Mergulho na solidão que eu escolhi viver. Mas, não sabia que poderia afundar. Ah! Mas não estávamos falando da “paixão ou amor” no começo disso tudo?

Desde o inicio passaram-se mais de dez anos e esse ano eu decidi que não poderia amar, porque não havia tempo para isso no meu mundo, estaria muito ocupada, terminando a faculdade, procurando um novo emprego e tentando abrir um negócio para mim, quando simplesmente um botão de atualizar a página pode mudar toda meu percurso. Parei em frente á tela do computador e congelei por um longo momento. Não sabia o que fazer e menos ainda o que pensar. Só passou na minha cabeça porque agora que eu desisti desse amor, desisti de te procurar na rua todos os dias enquanto caminho. Porque você sozinho apareceu no meu mundo abalando toda a minha estrutura?

Sonhei novamente com você e tudo está mais e mais confuso. Isso é o fim ou de novo o começo?

E dessa vez é para ser de verdade ou apenas para me lembrar de que meu “felizes para sempre” passou e se eu tivesse vivido poderia ter sido bom.


ISSO DE FATO EU NUNCA SABEREI.




Significado de Devaneio

s.m. Ação ou efeito de devanear.
Ausência de razão.
Estado de espírito de quem se deixa levar por lembranças, sonhos e imagens: passar as horas em devaneio.
Resultado de sonhos, quimeras, fantasias, ficções: isto são devaneios de uma alma doentia.


3 Comentários

  1. Eu escrevi um texto gigante e me posicionei demais diante da sua postagem, mais analisei bem e nao e muito bom eu me expor dessa maneira.. entao nao escrevi novamente

    So um fato nunca sera esquecido .. pode passa quantos anos for, voce nunca esquece aquela pessoa que te marco, aquele que por breve momentos te fez feliz de uma forma que nenhuma outra vez, a prova disso e que voce nunca a esqueceu.. se e verdadeiro fica e dura o tempo que for! Eu sinto saudades do meu primeiro amor de uma forma que eu nao consigo explicar.... sinto falta mais sei que ele nao eh pra mim..e isso ja e outra historia.. pra outro dia, outra postagem...

    ResponderExcluir
  2. Sweetheart! Vc tem sim muitos anos pela frente e com toda certeza vc está vivendo apenas o começo da sua jornada. Mas para vivê-lá plena e intensamente, todos nós precisamos valorizar o hoje olhando para frente, não para trás. Quando o "SE" for riscado de vez dos dicionários será mais fácil se desapegar do que se foi, viver o que é e lutar pra chegar onde se sonha.

    ResponderExcluir
  3. É sim Jú, "se" não existisse tudo seria diferente em nossos mundos.

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.